Como a baixa Autoestima afeta os relacionamentos ?

As pessoas tendem a assumir que as outras pessoas as veem de forma semelhante como elas próprias se enxergam.  Se me sinto inadequada e pouco inteligente, é provável que eu suponha que outras pessoas me enxerguem assim. Pessoas com uma Autoestima positiva e saudável conseguem perceber as suas próprias qualidades e acreditam que outras pessoas também.

É normal passar por alguns períodos em que a Autoestima e a Autoconfiança fiquem abalados mas se a percepção negativa de si mesma é constante, o impacto negativo sobre si mesma pode se estender e afetar os relacionamentos interpessoais, especialmente os amorosos.

Um relacionamento promissor pode ser muito afetado se uma das partes tem uma baixa Autoestima, que vai interferir na capacidade de ter uma relação autêntica, saudável e recíproca. Se você não acredita que você é bom o suficiente, como você pode acreditar que um parceiro amoroso poderia escolher você?

Uma baixa Autoestima pode gerar comportamentos distintos em relacionamentos amorosos. Alguns são: testar constantemente o amor e a fidelidade do parceiro; conformismo e aceitação de relacionamentos pouco saudáveis; tolerância a abusos verbais, emocionais e até mesmo físicos; medo de intimidade; não se abrir à uma troca verdadeira; fantasia da figura do homem perfeito que vai suprir o amor por si própria e acabar com a dor de não se amar; busca por estabilidade e segurança, mesmo que sem fortes laços afetivos; ciúmes extremo; isolamento.

Quando você se senta mal consigo mesma, suas inseguranças interferem na maneira com que você se relaciona com você mesma e consequentemente, na forma com que nos relacionamos com os outros, principalmente parceiros românticos,  Além de poder gerar uma ansiedade em relação à preocupação de ser abandonada ou trocada, o que pode levar a crises de ciúmes extremo.

A baixa Autoestima faz você esconder sua essência,  para que o outro não veja as imperfeições que você acredita possuir, comprometendo a verdadeira intimidade, que acaba sendo forçada e no final das contas, gera afastamento.

É preciso coragem para se comunicar assertivamente em uma relação íntima – coragem que vem com a autoaceitação, que permite que você valorize e honre seus sentimentos e necessidades,  mesmo correndo risco de rejeição ou críticas ao se expor. Isso significa que você se sente merecedor de amor e fica confortável em recebê-lo.

Uma Autoestima saudável e positiva pode ser aprendida. Um bom começo é observar quais são os seus diálogos internos mais comuns. O que você pensa de si mesma? O que diz a respeito de si mesma ?

Um diálogo interno negativo e tóxico cria um looping infinito, pois a tendência é enxergar o mundo sob essa ótica e em todas as situações, enxergar oportunidades que reforcem essas crenças sobre si mesma.

Quando você se percebe pensando que é inadequada e difícil de ser amada,  ou qualquer outro pensamento que te diminua, você precisa parar e conversar com você mesmo de uma maneira positiva. Esta conversa é apenas uma distorção. Pense e diga algo positivo sobre si.

É possível selecionar de forma consciente, o que pensar sobre si. E cada pensamento vai gerar uma emoção diferente. Esta é uma prática a ser adquirida, até se tornar um hábito.

 

Como se amar mais ? 21 Maneiras aqui

Leia também

Share This