Escolha uma Página

Sabe aquela situação que você não consegue mudar, que insistentemente se repete em sua vida ? Então, não foi a situação que não mudou. Foi você ! E se do lado de cá do monitor eu pudesse chutar, diria que foi Autossabotagem, uma forma inconsciente de agir para que eu não alcance os objetivos conscientes. Eu crio problemas e obstáculos que me afastam dos meus sonhos e do que desejo conquistar. Existem diversas formas de uma pessoa se sabotar. A mais comum delas, provavelmente, é a procrastinação.

 

Nem sempre uma pessoa se dá conta que ela mesma se sabota, dada a sutileza do seu funcionamento, e então acaba se vitimizando e culpando as pessoas, o mundo, o governo, a família, a situação e quem mais estiver pela frente, por não realizar os seus objetivos e em última análise, não ter a vida que gostaria.

Eu já vi uma irmã culpar a outra por ir mal na faculdade. Ela dizia que o fato de a irmã (que trabalhava à noite) acordar tarde era um incentivo para que ela não tivesse estímulo para acordar cedo e cumprir com as suas obrigações. Oi ? Adoraria dizer que esta história é uma invenção, mas não é. A irmã mais velha realmente queria acreditar nesta história que ela contava para todo mundo. Dizia que a irmã caçula tinha uma preguiça contagiante que a atrapalhava. É triste e cômico observar como podemos nos enganar. E é sempre mais fácil observar outros agirem desta forma do que reconhecer este comportamento em nós mesmos.

Para que mudanças aconteçam, primeiro é necessário a consciência do comportamento sabotador. E aí muitas pessoas se perguntam: Porque eu faço isso comigo mesmo? Este tipo de approach pode ser prejudicial pois desencadeia mais pensamentos e sentimentos negativos sobre si mesmo, do tipo “como sou burro por fazer isso comigo mesmo” , “eu nunca vou mudar” , “eu sou irresponsável” , o tipo de diálogo interno que lesa a Autoimagem e a Autoconfiança.

Pois bem, a Autossabotagem é na verdade um mecanismo de defesa. O cérebro está constantemente tentando nos livrar do perigo, manter o conforto e a segurança. Além da própria estrutura cerebral, soma-se à ela, uma mentalidade infantil que nos habita e anseia por viver sem grandes responsabilidades ou obrigações. Sua mente está tentando te proteger de possíveis fracassos e frustrações que possam acontecer, possibilidades existentes em qualquer novo desafio ou processo de mudanças.

“Autossabotagem é quando você diz que quer alguma coisa e age para não conseguir” Alice Cornyn-Selby

Eu acredito que dois pontos devem ser observados e trabalhados para que se interrompa o ciclo da Autossabotagem:

  • Crenças negativas: Podem ser crenças conscientes ou inconscientes, normalmente aprendidas com as pessoas que valoramos, principalmente os pais. Por exemplo, se você cresceu ouvindo que não existe uma pessoa rica que seja honesta e que é mais fácil “um camelo passar pelo buraco da agulha do que um rico ir para o céu”, esta crença pode se transformar em autossabotagem de forma que você inconscientemente não consiga prosperar financeiramente, sempre dê um jeito de gastar tudo o que ganha, mesmo que receba cada vez mais. Um outro exemplo, de uma cliente que tive: Ela acreditava que uma mulher para ser bem sucedida na área acadêmica não poderia ser bonita nem atraente fisicamente, dessa forma inconscientemente ela era relapsa com a vaidade e até mesmo com sua saúde, vivia em uma constante guerra com a balança e sentia-se frustrada por ser assim, desejava ser mais vaidosa, emagrecer, mas acabava sempre se sabotando.

  • Autoimagem: A grande chave para a transformação, penso eu. Autoimagem é a forma como eu me enxergo, e de certa forma, uma autoimagem negativa é o resultado de crenças negativas sobre mim. A forma como eu me vejo irá influenciar a forma como eu me mostro, os riscos que assumo, se acredito ser capaz, e o entusiasmo que empregarei para realizar e conquistar. A autoimagem dificilmente é verdadeira, ela começa a ser construída a partir da primeira infância e a base é o que entendi como sou vista pelas outras pessoas. Uma criança não tem a capacidade de se auto-avaliar mas ela consegue compreender e absorver o peso das mensagens. Se ouvi que sou lerda e burra ao longo do meu desenvolvimento, provavelmente assumo esta informação como verdadeira, e tenho uma tendência de me comportar a reforçar esta imagem.

     

Quando você conscientemente quer algo, mas inconscientemente age em desacordo, seu sabotador interno está trabalhando. Os comportamentos quase sempre são sutis, e muitas pessoas sequer dão-se conta do processo Autossabotador, mas, aprendendo a reconhecê-los, você pode começar a superá-los. É preciso lembrar ainda que por mais que alguém deseje muito ser feliz, pode sentir dificuldade em se permitir isso. E permitir-se ser feliz faz parte de uma Autoestima saudável.

                                                                                             

 

Leia também