Escolha uma Página

Recebi este e-mail de uma querida Maria. Ela compartilhou comigo de forma muito sincera e honesta, lições sobre amor, amor próprio, autoconhecimento e confiança em si. Nestas palavras cheias de verdade e sentimento (não editadas), vi muitas Marias. Tenho certeza que muitas irão se identificar. E acredito que as lições desta linda mulher podem ser inspiradoras para muitas de nós! Muito obrigada por compartilhar comigo e com outras mulheres !

“Quando eu namorava o Bruno, sofria muito. Muito mesmo. Porque eu sempre me doava muito. Sempre. Sempre me preocupava horrores com ele, sempre corria atrás dele, sempre sentia muito mais saudades dele do que ele de mim. Namorávamos à distância. Ele fazia faculdade no interior e eu, aqui na capital. Ele tem uma mãe que não tinha o mínimo de amor próprio. Vivia o tempo todo para os filhos e marido. E eu me dava muito bem com ela. Mas me lembro que várias vezes pensava se um dia seria igual a ela e acabava temendo esse destino pra mim. Não achava certo e nunca achei. Ela não se amava e esse amor que ela só tinha pelos filhos e marido só os prejudicava.

Enfim, lição que deveria ter aprendido e não aprendi: Amor Próprio.

Na sequencia veio o Matheus. Ele era muito mais novo q eu. Tinha vários amigos que faziam varias coisas legais que eu queria fazer e não fazia por pura insegurança. Achava que todos iriam me julgar sendo errada, que passaria vexame ou seria incapaz. E eu sentia raiva das pessoas por elas fazerem o que eu queria e eu não fazia.

Lição que deveria ter aprendido e não aprendi: Deveria ter cuidado do meu jardim. Cuidado de mim mesma e não me cuidei. Deveria correr atrás e fazer  coisas que me faziam bem.

Depois de uns 9 meses desse término comecei a fazer curso de fotografia. Sentia muito bem comigo e estava feliz sendo solteira. Pela primeira vez comecei a fazer algo que eu realmente queria e gostava. Aí como presente do Universo, ganhei o Diego. Foi paixão a primeira vista. Daquelas de soltar faíscas. Vivemos um grandioso e intenso romance. Fui até ele na Argentina nas férias. Conheci toda a família dele. Família super receptiva, acolhedora e simpática. Todas as qualidades que me faziam desejar pertencer à eles.

Não preciso nem falar que surgiu o desejo de me mudar para lá. Com essa minha mania estúpida de querer fazer tudo pelo amor, colocar sempre o cara e o relacionamento em primeiro plano… Não deu certo! Óbvio! O universo sabia que eu ainda não tinha aprendido a parar de me doar tanto e me desfazer dos meus planos pelos outros. Eu ainda não tinha aprendido a lição que estava começando a aprender… Correr atrás daquilo que me fazia bem. Eu estava começando a engatinhar…

Lembro-me sempre de uma frase que o Diego me disse: “Nunca mude o seu jeito de ser por nada e por ninguém”. Isso me marcou tanto! Tanto que me lembro até hoje, e claro que há muito mais significados nas entrelinhas.

Acho q ele quis dizer: nunca deixe de fazer suas coisas por nada e nem por NINGUÉM. Nunca deixe de realizar suas vontades…

Eu tinha me oferecido de me mudar pra lá caso ele topasse.

Nossa…. Santo Diego… Ele disse “não” para minha loucura porque sabia que não iria dar certo. E eu sofri 1 ANO por esse NÃO que ouvi.

Aprendi isso na época???

NÃO!!!

Mas depois de um tempo fui amadurecendo essa ideia e vi que era uma grande verdade.

Aí veio o André. Aff… Esse foi o aprendizado mais amargo q tive. Não por ter sofrido, mas por ter me permitido a ficar com um cara daquele. O André é professor e um ótimo profissional, inclusive. Isso me enchia de orgulho, mas por outro lado éramos totalmente diferentes. Diferentes na questão de valores, na forma como enxergar a vida, como tratar as pessoas. Tudo isso foi me fazendo ser uma pessoa que não sou. Achava que pelo simples fato de ama-lo (amor?!?!) deveria ceder ao jeito dele mesmo me sentindo incomodada com aquilo. Um certo dia ele chegou pra mim e disse que recebera uma proposta de trabalho e que iria se mudar. Com relação a nós (estávamos morando juntos e eu estava assumindo praticamente todas despesas, pois diminuiu a quantidade de alunos dele) deveríamos ir levando nosso relacionamento à distância e verificando como iríamos passar por aquilo. Ou seja, ele iria arrumar a vida dele e eu no caso, ficaria totalmente em segundo plano. Em nenhum momento ele quis assumir de fato o relacionamento mesmo que fosse à distancia. Em nenhum momento ele veio me procurar para conversar sobre essa decisão de aceitar a proposta. Em nenhum momento ele veio me dizer que esta decisão seria bom pra ele e pra nós. Pra que ele precisaria de mim,não é mesmo? Senti-me totalmente usada e fiquei com um nojo imenso dele. Hoje em dia quase não consigo me recordar da parte boa.

A lição foi: não é porque o cara faz aquilo q vc quer fazer ou queria fazer um dia, significa que ele será legal ou que ele é o cara certo pra você e muito menos que você irá se realizar através dele …

Em hipótese alguma deve-se ficar com alguém porque esse alguém faz coisas bacanas que você quer pra si ou que ele seja alguém q você quer ser.

Realmente, não aprendi a lição do Matheus. Ao invés de correr atrás daquilo que gosto e quero, fui ficar com um cara achando que iria realizaria. Que bosta!

Caralhooooo!!! Faça você mesma. Realize isso em você mesma! Faça por você! Encontre a realização em você MESMA!!!

Não preciso nem responder se eu aprendi ou não a lição, né?!?!?!?!

Aff… que merda!

Vieram  o Thiago e o Rafael.

O Rafael me ensinou que dá sim pra curtir um sexo casual e quando começar a se apaixonar é hora de cair fora. Se já ficou bem claro desde o começo que é isso que vocês homens querem, pra que querer outra coisa? E mais uma vez a vida e o universo (incansáveis) dizendo: não é porque ele faz algo que você admira que ele será o cara da sua vida. Não, gente. Não é mesmo. Você pode admirar o cara, mas além de ser um artista, você merece muito mais. Eu mereço muito mais.

O Thiago.. Ah… o Thiago… esse sim. A vida e o Universo disseram: CARALHO!!! APRENDE AS LIÇÕES PORRAAAAAAAA!!!

Lição do amor próprio. (a mais importante de todas).

Lição do: toma cuidado porque isso é carência.

Lição de fazer as coisas por você mesma.

Lição do autoconhecimento.

De uma vez por todas. Que eu aprenda tudo isso. Que eu aprenda a cuidar de verdade do meu jardim. Que eu aprenda a enxergar as coisas que eu tenho que aprender. Que eu tenha sabedoria e força para fazer as coisas certas, fazer a lição de casa corretamente.

Ainda não achei um alguém porque  eu não aprendi as coisas certas. As tarefas foram se repetindo e eu não fiz a lição de casa. Não fiz quase nenhuma!!!!

Ou eu aprendo ou vou continuar nessa lista de tarefas repetitivas e doloridas.

Elas continuarão no modo “repeat” até q eu aprende e aperte o STOP.

Demorou tempo para me descobrir (o mínimo de mim). Saber das coisas q eu gosto, que me fazem bem, que me movem, que me preenchem de alegria. Demorou tempo para aprender a ouvir meu coração. Demorou tempo para sair do papel e dos pensamentos e partir para ação.

Agradeço à vida, à Deus e  ao Universo  por me dar a oportunidade de aprender as lições, de colocar sempre situações em minha vida para que eu pudesse enxergar e aprender, por acreditar que dentro de mim habita uma mulher forte e poderosa e de que sou capaz de libertá-la e deixá-la viver.

Meu status atual: Estou em construção”

coaching de autoestima

Leia também