Well my friend, desse assunto eu posso falar com propriedade pois sou uma procrastinadora em eterna recuperação. E tenho consciência disso.

Por definição simples, procrastinar é deixar para depois, adiar. Empurrar com a barriga, no popular. É perder tempo precioso de vida!

Penso cá com meus botões que essa praga é um forte hábito enraizado até o núcleo das células, potencializado por falta de foco e disciplina. Combinação super para cumprir metas!

Procrastinar pode ter pequenas consequencias no dia-a-dia ou ser um grande problema na vida de uma pessoa. Sabe aquele curso ou viagem que temos vontade de fazer e quando percebemos anos se passaram e nada fizemos? O que foi feito com aquele tempo ? Para onde foi?

Eu penso que o primeiro passo para se mudar de atitude é reconhecer o mau hábito:

– vou ficar só mais 5 minutinhos na cama ou vendo TV (sim, é procrastinar), pequenos atrasos e adiantamentos

– amanhã eu lavo a louça

– segunda eu começo o regime

– ano que vem vou procurar outro emprego

– sábado eu arrumo meu quarto

– ainda tenho uma semana para estudar para a prova

A lista  de exemplos poderia ser enorme. Pode ser que em um estado moderado (existe isso?) procrastinar não traga malefícios assim muito graves mas por exemplo quando se tem sobrepeso, pressão alta e diabetes, adiar um regime  é uma péssima escolha.

Existem variações dessa praga danada, que podem nos enganar. Fazer parte de uma atividade, deixar de fazer algo para agradar terceiros (justificando-se), substituir tarefas importantes por outras nem tanto, também são formas de procrastinar

Adiar tarefas traz, além do mal da coisa atrasada em si, efeitos colaterias terríveis: Uma frustração consigo próprio, sensação de incapacidade, baixa autoestima, angustia. E esses sentimentos fomentam esse ciclo vicioso.

Se o maior prejudicado na maioria das vezes somos nós mesmos, porque nos prejudicamos?  Alguns motivos:

– Busca de prazer imediato ( prazer de agora diminui a culpa )

– Metas muito perfeccionistas que tornam-se difíceis até mesmo de serem imaginadas

– Priorizar outras pessoas, para obter aprovação ou atenção

– Expectativas irreais sobre o tempo (consigo estudar para a prova na noite anterior) ou sobre o futuro ( serei bem sucedido sem me esforçar)

– Medo de falhar/ ou do sucesso

– Excesso de atividades, falta de organização

– Falta de foco (concentração)

– Falta de organização (perder-se na bagunça)

– Falta de gerenciamento do tempo, não priorizar tarefas

– Baixa autoestima (eu não sou capaz/inteligente/ bom o suficiente/ merecedor  de fazer isso)

– Falta de motivação (não tenho forças/  animo)

Ainda bem que procrastinar é um hábito. E hábitos podem ser mudados. Como somos pura energia eu acredito na lei da inércia que diz que se um corpo está parado permanece parado e se está em movimento permanece em movimento. Se você está parado, seu corpo e mente farão de tudo para você continuar assim. Existem alguns estudos que dizem que precisamos de 21 dias ininterrupto de uma atividade para que se torne um hábito.

Se você também é um procrastinador e quer mudar, identifique as suas  causas e seus maus hábitos. Minha receita pessoal para  realizar o que me proponho:

– Identificar e listar os motivos de procrastinar

– Estipular um objetivo claro e objetivo com data para acontecer

– Listar as vantagens e desvantagens para a concretização desse objetivo

– Se uma tarefa for muito grande (pode ser desistimulante), dividí-la em mini-metas

– Acompanhar o progresso das tarefas

– Calendário anual, semestral, mensal, semanal e diário das tarefas a serem feitas

– Durante a realização da tarefa, não parar.

– Eliminar distrações (telefone, internet, TV, etc etc)

– Manter a motivação através de um diário de objetivos

– Se recompensar quando a tarefa for cumprida.

Este vídeo curtinho, infelizmente em Inglês, é um dos meus preferidos :

 

Leia também

Share This