Escolha uma Página

Espichamos o olho para saber se a grama do vizinho é realmente mais verde, se o carro é mais novo, a casa mais bonita. Comparamos o sucesso, medido no tamanho da TV ou no  traquejo social.

Parece que o outro é mais feliz, mas sentimos um prazer secreto quando estamos mais magras. Comparamos os outros entre eles e  nós. Mas se não vivemos a vida do outro, porque a comparação é inevitável? Penso que o sucesso de um reality em boa parte deve-se a liberdade de comparar o outro, que se torna um íntimo desconhecido.

A comparação é inerente ao ser humano, em áreas, graus ou níveis diferentes. Pode ser que a Fulana realmente não ligue para seu carro 1.0 mas incomoda-se com a superioridade intelectual  da colega de trabalho. A bela moça não se importa em falar um português equivocado, desde que seus membros inferiores sejam os mais “bombados”.

A grande questão é o resultado de todas essas comparações. E o resultado está intimamente ligado à quem você escolhe se comparar, em quais situações você se coloca. Tenho uma preocupação constante em escolher conscientemente a quem vou me comparar.  O foco da minha atenção e o sentimento gerado serão outros. E é isso que importa.

O que eu quero saber é: A quem (mesmo inconscientemente, é preciso ser honesto) você tem se comparado? Escolha se comparar a quem você admira, a quem já chegou lá. Com franqueza, sem ser cruel consigo próprio.  Quando escolhemos uma régua “menor” de comparação, a possibilidade de uma acomodação é maior, sabe aquela história… “ah, todo mundo faz isso” como justificativa ? Este tipo de desculpa é suficiente ?
Por outro lado, quando nos comparamos a quem consideramos ser melhor em algo, criamos uma inquietude, uma força de ação, é possível vislumbrar ser ou ter aquilo que admiramos. Não confunda com inveja. Inveja é querer que o outro não tenha o que gostaríamos de ter. Nossos amigos, colegas de trabalho, família, artistas, tudo o que vemos e ouvimos… tudo são  réguas. Uma oportunidade de observar, recalcular a rota e redesenhar a própria vida.

Escolha as suas réguas com consciência e sabedoria.

Leia também